Você sabia que o governo te devolve o valor de impostos que você pagou a mais durante o ano? Entenda como funciona e saiba consultar a restituição do Imposto de Renda.

Todo ano, os brasileiros têm que fazer a declaração do imposto de renda. Esse relatório serve para o governo verificar se todos os impostos foram pagos corretamente. Com isso, quando o valor pago por você de impostos for maior, o governo devolve esta sobra – que é a restituição.

 

Como funciona a restituição do Imposto de Renda?

No momento em que você conclui a sua declaração do imposto de renda já dá para saber se vai ser preciso pagar a mais ou receber dinheiro (o próprio programa do IRPF traz essa informação). Assim, se você pagou impostos a mais, será preciso informar o número da sua conta bancária para que o dinheiro seja devolvido.

Essa devolução é disponibilizada dando preferência para idosos, deficientes e portadores de doenças graves. Depois dessas prioridades, as pessoas que fizeram a declaração logo no começo do prazo recebem a restituição do imposto de renda. A devolução do dinheiro será feita até o fim do ano seguinte à declaração. Por isso, não demore para declarar sua renda, pois quanto mais cedo fizer, mais cedo você vai receber a restituição do IRPF!

 

Quando é feita a restituição do Imposto de Renda?

A restituição do Imposto de Renda é feita em lotes, de mês em mês. Além disso, a cada mês ela sofre uma atualização de acordo com a taxa Selic até o dinheiro ser depositado em sua conta, após o depósito o valor não sofre nenhuma alteração, independente da data que você receba a restituição do IR.

A Receita Federal do Brasil, através do Ato Declaratório Executivo Corec 1/2019, divulgou as datas da restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF), referente ao exercício de 2019, ano-calendário de 2018.

Em 2019, os prazos de recebimento da Restituição do Imposto de Renda começarão no dia 17 de junho e devem ir até dezembro. Veja como conferir todos os lotes na tabela abaixo!

I – 1º (primeiro) lote, em 17 de junho de 2019;

II – 2º (segundo) lote, em 15 de julho de 2019;

III – 3º (terceiro) lote, em 15 de agosto de 2019;

IV – 4º (quarto) lote, em 16 de setembro de 2019;

V – 5º (quinto) lote, em 15 de outubro de 2019;

VI – 6º (sexto) lote, em 18 de novembro de 2019; e

VII – 7º (sétimo) lote, em 16 de dezembro de 2019.

As restituições serão priorizadas pela ordem de entrega das DIRPF 2019.

 

Fonte: https://www.jornalcontabil.com.br/

Compartilhe

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhar no WhatsApp